3 de março de 2011

BANDA DO SOL: PROGRESSIVO RENOVADO

Banda do Sol
Foto: Divulgação
Formada por músicos conhecidos da cena paulista, a Banda do Sol pode se orgulhar de ter lançado um dos melhores trabalhos de 2010. Tempo, nome do segundo disco da banda, consegue a façanha de mesclar elementos do rock progressivo dos anos 70, MPB e um pouco do AOR, criando uma sonoridade agradável e marcante.
Nessa entrevista feita com Moa Jr (vocal/guitarra e violão) e o baterista Fábio Fernandes, a dupla nos conta da sonoridade desenvolvida no trabalho, conteúdo de suas letras, participações de peso no CD, além do envolvimento de alguns músicos da banda com um programa direcionado as crianças nos anos 80!
Confiram!

New Horizons Zine: Amigos, inicio a nossa entrevista perguntando da repercussão do seu novo trabalho, intitulado Tempo, que para mim foi um dos melhores trabalhos deste ano que se passou. Visto que a banda faz um som que não circula na grande mídia, o que vocês estão achando da sua repercussão?
Moa Jr: Primeiramente queremos agradecer pela atenção, carinho e elogios.
O cenário musical mudou completamente com a era da internet. Exemplo marcante disso é o trabalho da Banda Do Sol estar conseguindo chegar a lugares que antes só com a mídia televisiva ou no rádio chegaria. A repercussão se deve a essa forte maneira de comunicação e é positiva pois são longos anos de trabalho, sem nunca deixar de acreditar que o projeto seria um sucesso. Temos composições e arranjos que agradam muitos ouvintes e a banda reúne músicos em sua mais alta performance.

NHZ: A banda executa um som que mescla influências do Rock Progressivo (70's), AOR, Classic Rock e MPB, cuja fusão é totalmente agradável, calma e viajante, como exemplo a abertura do CD, a faixa Som do Sol. Quais faixas que são as mais comentadas do trabalho?
Moa Jr: O Rock Progressivo dá margem muito ampla para expor os sentimentos, não tem limitação. Até por isso mesmo que a recepção positiva tem sido para o Cd com um todo, não somente para faixas isoladas. Parece que o “Tempo” reúne uma faixa pra cada refinado gosto musical.
Fábio Fernandes – Mesmo assim, do tracklist do nosso novo CD, podemos citar que as músicas que mais tem agradado os fãs e também os críticos são a “Som do Sol”, “Tempo”, “Voar”, “Sinal da Liberdade” e “Quem eu sou?”.

NHZ: Hoje em dia temos um grande interesse na música feita nos anos 70, tendo inclusive publicações destinadas ao estilo, como a Poeira Zine. Queria saber se vocês conhecem a revista e o que acham?
Fábio Fernandes: Ficamos conhecendo o Poeira Zine há pouco tempo, quando o Bento Araújo veio cobrir a Coletiva de Imprensa que fizemos em São Paulo na ocasião do show com o Billy Sherwood.
Acho muito importante o resgate da criatividade, feeling e profundidade da música feita nos anos 70. E com certeza o Poeira Zine tem um papel fundamental na divulgação e preservação da música, principalmente na área do progressivo e do fusion que, por sinal, adoramos. :)

NHZ: E já que falamos no Progressivo, infelizmente muita gente confunde o estilo com malabarismos gratuitos e músicas maçantes, reforçado por causa do Prog Metal . Qual a opinião de vocês sobre isso e o que acham desta atual vertente do Progressivo?
Fábio Fernandes: Não é a nossa praia, mas ouvimos algumas bandas, como o Dream Theater, por exemplo. Fora os exageros, o Prog Metal traz novas mesclas e novos resultados que podem enriquecer a linguagem do Rock dependendo da aplicação que se faça (com sentido ou não).

NHZ: Voltando a falar no CD, fora a música, ele possui outros atrativos, como a mixagem feita por Billy Sherwood (ex-guitarrista do Yes), e a masterização feita por Joe Gastwirt. Como foi chegar nestes profissionais e o que acharam do trabalho deles?
Cartaz do Show Rock Sinfônico
Divulgação
Fábio Fernandes : Conhecemos o Billy Sherwood através do Myspace quando, para nossa surpresa, ele nos deixou uma mensagem dizendo que tinha gostado da nossa música. Isso revelou uma grande afinidade e, a partir daí, aconteceu a mixagem do CD, criou-se uma amizade e até que veio o show de lançamento com a participação dele. O Joe Gastwirt nós conhecemos por intermédio do próprio Billy.

NHZ: E falando em Billy Sherwood, vocês se apresentaram junto com ele num evento chamado Concerto Rock Sinfônico. Conte-nos como foi o show e se houvesse uma oportunidade, se fariam novamente.

Fábio Fernandes - Banda do Sol
Foto: Divulgação

Fábio Fernandes: O show foi dividido em três partes. Na primeira Orquestra Sinfônica Municipal de Sorocaba fez a abertura do evento. Depois a Banda do Sol se apresentou junto com a orquestra tocando músicas do Cd Tempo. Na terceira parte o Billy Sherwood se juntou a Banda do Sol e orquestra para reviver músicas do Yes que sempre curtimos como, por exemplo, “Roundabout”, “I’ve seen all good people”, além de termos tocarmos sucessos do Toto, Yoso e Circa.
Realmente foi mágico. Pudemos tocar o que gostamos, com a presença do Billy e da Orquestra, e para um público maravilhoso de 7 mil pessoas de todas as idades curtindo muito! Uma noite linda, som de primeira. Foi só alegria!
Nós adoramos a experiência, assim como o Billy. Sempre que pudermos faremos a “dobradinha” Banda do Sol e Billy. Também há possibilidade de outras apresentações futuras com mais convidados, como, por exemplo, o Tony Kaye.

NHZ: Outra coisa a se destacar são as letras da banda, que tem uma preocupação ecológica, e vocês já utilizam esta temática antes dela invadir as telas da TV. Na opinião de vocês, apenas com a conscientização temos chance de fazer mais pelo nosso planeta?
Moa Jr: O tema ecológico sempre esteve presente no trabalho da Banda. Muitas pessoas estão na beirinha para, de fato, fazer algo pelo nosso planeta. Às vezes falta aquele “empurrãozinho” para se conscientizar e começar a agir, lutar para acabar com a crueldade com os animais, com a poluição das águas, do ar e de alguma forma passar esse pensamento para outros, à sua maneira. A forma que a Banda escolheu pra isso foi através da música.

NHZ: Poucos sabem, mas vocês possuem um primeiro trabalho, lançado nos anos 80. Vocês pensam em relançar ou mesmo regravar este trabalho para apresentar aos novos fãs?

Moa Jr - Banda do Sol
Foto: Divulgação

Moa Jr: O trabalho foi lançado em 1983, pra ser mais exato. O LP foi gravado em São Paulo no estúdio Mosh. Por enquanto não temos a intenção de relançar esse trabalho, estamos querendo partir para o novo. Mas tudo é possível, o disco tem muitas músicas boas.

NHZ: E ainda falando no passado, em 2008 foi comentado sobre um possível DVD. Como anda este projeto? A banda ainda pensa em lançar um material neste formato?
Fábio Fernandes: Este projeto está acontecendo gradualmente, estamos captando imagens de várias atividades da Banda e assim que pudermos vamos editá-las e produzir um DVD.

NHZ: Para encerrar, queria saber se é verdade que a banda participou da trilha sonora do Programa Bambalalão nos anos 80? Conte-nos como surgiu esta oportunidade?
Fábio Fernandes: O Programa Infantil Bambalalão que foi ao ar pela TV Cultura teve a participação do Moa Jr. Ele compôs varias musicas para os personagens, incluindo algumas para o tema do programa e também se apresentava tocando e cantado para as crianças.

Por João Messias THE ROCKER