23 de março de 2017

APARÊNCIAS QUE ENGANAM

Apesar do nome e visual, a pegada da banda finlandesa é mais voltada à introspecção

Por João Messias Jr.

As aparências enganam sim ou Não?

Black Aura
Divulgação
Não sei se existe uma resposta definitiva para essa questão, mas ouvindo o novo trabalho dos finlandeses da Viper Arms me faz crer que elas enganam sim. Veja bem, com um nome desses e uma capa forte e chamativa, pensamos que estamos diante de uma banda de hard rock.

Apesar de umas guitarras pesadas e músicas contagiantes como Time Bomb (um grude só) e a energética Lucky 7, o que temos ao decorrer do disquinho são canções mais introspectivas, que aparecem logo na seguinte faixa, Holy in One, que mantem o nível alto.

To the Wolfes é densa, já Everything Nothingness é  deprê, enquanto Black Surf é um ska muito gostoso de escutar. Apesar da inegável qualidade, o nível cai um pouco, voltando a subir em na interessante The Worst Candidate e Sightseeing to Hell.

Mesmo com a “queda de temperatura", o quarteto formado por Niina (voz e guitarra), Heidi (guitarra), Soffe (baixo) e Jonne (bateria) tem suas qualidades e pode cair no gosto de fãs de rock, em especial de vertentes como o alternativo, grunge e o pop.

Nenhum comentário: